Candidíase é uma DST?

A candidíase é uma dst

Quando o assunto são doenças é muito comum que ocorram duvidas, assim como a disseminação de informações falsas e de curas milagrosas. Dentre as dúvidas mais comuns uma pergunta chama atenção: candidíase é uma DST?

Muitas pessoas confundem bastante e não sabem identificar de fato o que é a candidíase. O que prejudica a procura por ajuda médica e um diagnóstico correto.

Veja, nesse artigo, a resposta da pergunta se candidíase é uma DST ou não.

Afinal, candidíase é uma DST?

Antes de responder se a candidíase é uma DST é bom entender quais os aspectos que definem doenças desse tipo e suas características principais.

As DSTs, doenças sexualmente transmissíveis, são todas as doenças transmitidas por meio de contato sexual.

Desde que um dos parceiros sexuais esteja infectado e não se use preservativo durante o ato sexual.

As doenças caracterizadas dessa forma podem ser causadas por micróbios, bactérias ou vírus.

De forma geral, elas apresentam alguns sintomas comuns como bolhas, verrugas, corrimentos e feridas. Algumas DSTs não apresentam sintomas visíveis.

A candidíase é uma doença causada por um fungo, Candida albicans, possui sintomas de DSTs é transmitida por meio sexual, porém não pode ser considerada uma doença desse grupo.

Portanto a resposta para a pergunta a candidíase é uma DST é não.

Na realidade essa doença acomete na maioria das vezes as mulheres e está associada a outros fatores.

As principais causas da candidíase são a queda na imunidade do organismo e a baixa resistência da região vaginal.

Quando ocorre isso o fungo Candida albicans, que faz parte da flora vaginal e não causa mal algum, se reproduz em excesso e da origem a infecção.

Confira os motivos que podem levar ao aparecimento dessa doença:

  • Uso de antibióticos;
  • Problemas de saúde que venham causar deficiência imunológica;
  • Medicamentos como os anticoncepcionais e corticoides;
  • Roupas inadequadas, como o uso prolongado de biquínis molhados, peças muito justas, roupas de lycra;
  • Mulheres no período de gravidez;
  • Realização de duchas vaginais excessivas;
  • Pessoas que possuem diabetes.
  • Relações sexuais desprotegidas, quando não há o uso de camisinha.

A candidíase é uma doença mais comum do que se imagina, estimativas estipulam que 75% das mulheres terão essa infecção ao menos uma vez na vida.

Segundo esse mesmo estudo realizado pelo Sogesp, metade desse número irá apresentar a doença uma segunda vez e 5% serão acometidas pela candidíase recorrente.

As relações sexuais e a candidíase

A candidíase é uma DST grave

Apesar de, como dito anteriormente, a resposta para pergunta a candidíase é uma DST ser negativa. Não pode se descuidar dos cuidados com a vida sexual.

Como essa infecção pode ser transmitida sexualmente é extremamente necessário transar sempre com camisinha.

Inclusive não é indicado manter relações sexuais quando se nota a presença dessa doença.

Seja para evitar que seu parceiro seja contaminado ou até mesmo para não prejudicar a sua saúde, principalmente nos períodos em que a doença está no seu estado agudo.

Já que nessas ocasiões as regiões mucosas da vagina estão inflamadas e sensíveis e por esses motivos mais propensas a outros diversos problemas como infecções causadas por vírus.

O que fazer para prevenir a candidíase

Candidíase e DST

Agora que você sabe que a candidíase não é uma DST, é bom que tenha noção a respeito de métodos para prevenir que essa infecção prejudique a sua saúde.

Por ser uma doença bastante comum, medidas simples que podem ser adotadas por qualquer pessoa para evitar o seu aparecimento.

Assim, separamos as duas formas mais comuns de evitar a doença, uma envolvendo cuidados com higiene outra para reforçar a imunidade.

-Higiene: a limpeza correta da região intima é essencial para quem deseja evitar problemas com candidíase. Confira alguns cuidados básicos:

  • Não usar peças de roupas molhadas por longos períodos, como biquínis por exemplo.
  • Fazer a higiene intima da maneira correta, usando produtos que ajudem a manter o pH ideal da vagina;
  • Evitar ao máximo as duchas vaginais, pois eles retiram toda a proteção da vagina.
  • Não usar produtos na região vaginal com odores muito fortes

-Imunidade: outro ponto que deve ser levado em consideração quando o assunto é evitar o aparecimento da candidíase.

Como descrito anteriormente, a imunidade baixa leva ao aumento na produção dos fungos que causam a candidíase, por isso é importante reforça-la sempre.

Veja as dicas que separamos para que você tenha uma ótima imunidade e evita essa e outras doenças.

  • Mantenha uma alimentação saudável e balanceada;
  • Tenha 8 horas de sono diárias;
  • Não abuse de drogas muito menos consuma o álcool de maneira excessiva;
  • Controle a sua ansiedade, procure por ajuda para controlar essa sensação;
  • Evite a ingestão de açúcar e gordura em excesso.

Candidíase é uma DST? Não! Mas mesmo assim precisa ser observada de perto por um médico e evitada com o uso de camisinha. Saiba também sobre 8 DICAS PARA VENCER A CANDIDÍASE.

FONTES UTILIZADAS:

https://mdemulher.abril.com.br/saude/como-cuidar-da-higiene-intima-e-evitar-cheiros-indesejados/

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2017/07/candidiase-saiba-tudo-sobre-doenca-que-afeta-75-das-mulheres.html

http://giv.org.br/DST/O-Que-s%C3%A3o-DST/index.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *